Contramestra Cida Angoleira

0
227

Nascida em Laranjeiras no Rio de Janeiro, praticante dedicada à Capoeira Angola deste 1986 representa fielmente a capoeira e é uma grande referência feminina num processo cultural que ainda é predominantemente masculino, de forma singular ela mantém viva a nossa cultura na cidade onde vive, personalidade importante na sociedade a contramestra Cida Angoleira é fidedigna na arte de capoeirar.

Quando morava no litoral paulista no ano de 1986, Cida conheceu a Capoeira Angola na beira do mar ubatubense, numa roda que acontecia na praia de Iperoig ou praia do Cruzeiro em frente a câmara municipal no centro de Ubatuba, São Paulo, liderada pelo Mestre Jequié do Grupo de Capoeira Mandinga de Angola qual foi formado pelo mestre Paulo dos Anjos.

Desde então, Cida iniciou a sua prática e vivência como capoeirista angoleira e daí até os dias atuais não parou mais. O Mestre Jequié único mestre de capoeira referência na cidade na época, tinha uma barraca de artesanatos na feira próximo onde acontecia as rodas de capoeira, ele confeccionava e vendia berimbaus e outros instrumentos, livros, camisetas personalizadas, e outros produtos relacionados a capoeira, além de diversificados artesanatos afro-ameríndio-brasileiro.

O local era visitado por muitos bons capoeiristas que iam comprar os produtos ou apenas trocar ideias e sempre a capoeira se manifestava com os toques dos berimbaus, cantigas e expressões corporais.

Nessa época Cida trabalhou na barraca com mestre Jequié e ficou por bastante tempo, aprendeu o ofício, conheceu diversos capoeiristas e mestres conceituados e vivenciou momentos importantes em sua jornada como capoeirista durante os dez anos com ele, também ajudava a dar aulas dentro do grupo a pedido do próprio mestre Jequié.

Quase no final do ano de 1996, Cida mudou-se para Niterói, RJ, e teve que se desligar do grupo anterior, e logo começou a fazer parte da Associação Grupo de Capoeira Ilê de Angola em Niterói, onde permaneceu por vinte anos.

Grupo este liderado por Mestre Formiga discípulo do mestre Zé Baiano da Escola de Capoeira Angola Rei Zumbi de Caraguatatuba, SP, este formado pelo mestre Gato Preto da Bahia. Neste grupo Cida esforçou-se ao máximo para dar continuidade ao seu aprendizado buscando sempre o melhor da Capoeira Angola.

Em dezembro de 2015, ela desligou-se da Associação Grupo de Capoeira Ilê de Angola.

Em janeiro de 2016 iniciou um trabalho independente sem mestre, criando a Escola de Capoeira Angola Essência da Liberdade, ministrando aulas para crianças, jovens e adultos nas comunidades do município de Niterói, RJ.

Em outubro 2016 conheceu Minhoca aluno e irmão do mestre Cobra que a convidou para conhecer o seu grupo em Brasília onde iria acontecer um grande evento no final do mesmo ano.

Em dezembro de 2016, Cida foi à Brasília, DF, para conhecer o evento do Centro Cultural e Social Grito de Liberdade e o mestre Cobra responsável e líder do grupo, foram três dias de um grandioso evento, o suficiente para haver uma conexão de afinidades entre ela e o mestre Cobra e com os integrantes do grupo.

Assim a Escola de Capoeira Angola Essência da Liberdade sob a direção do mestre Cobra tomou novas proporções. Mestre Cobra surpreende com sua bagagem cultural. É uma ótima pessoa, consagrado pelo mestre Gildo Alfinete de mestre Pastinha, Salvador, Ba, no qual recebeu o título de mestre de Capoeira Angola.

Também em dezembro de 2016, a Escola de Capoeira Angola Essência da Liberdade foi filiada na ABCA – Associação Brasileira de Capoeira Angola em Salvador, BA, um dos maiores redutos de angoleiros do mundo.

Em dezembro de 2017 em Brasília, Cida teve o reconhecimento por seu tempo dedicado a capoeira e pelos trabalhos praticados sob a direção do mestre Cobra que lhe entregou a graduação de contramestra da Escola de Capoeira Angola Essência da Liberdade com o codinome Cida Angoleira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui